PUBLICIDADE

Estresse não é vilão, aprenda a acolhê-lo

O estresse não é adoecer, mas sim tudo aquilo que nos move e gera diversas sensações (boas ou ruins)

O que você pensa quando lê ou ouve a palavra "estresse"?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A palavra estresse normalmente acaba sendo entendida e associada como algo ruim e causadora de problema na saúde, na vida pessoal e profissional da pessoa. Em qualquer pesquisa básica na internet, ao digitar essa palavra, irá encontrar seus sintomas (que, aliás, são diversos) e como resolvê-los. Se for conversar com alguém a respeito, inclusive com profissionais da área da saúde, e automaticamente usar essa palavra para explicar como anda se sentindo, irá ouvir dicas e conselhos para como eliminar e resolver o estresse da sua vida.

O termo estresse ficou diretamente associado a um problema e que deve sempre ser resolvido ou tratado ou retirado da vida das pessoas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas estou aqui hoje pra dizer que essa interpretação prática, técnica e tabelada sobre o estresse pode ser na verdade um equívoco, diria até que um entendimento muito simplório sobre o tema. É aqui, nesse ponto que chamo à atenção de vocês para pensar comigo.

Mas estou aqui hoje pra dizer que essa interpretação prática, técnica e tabelada sobre o estresse pode ser na verdade um equívoco, diria até que um entendimento muito simplório sobre o tema. É aqui, nesse ponto que chamo à atenção de vocês para pensar comigo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estresse não é um vilão. Na verdade ele é necessário para uma vida saudável.

"Como assim, Raquel?"

O mais comum é uma pessoa observar e considerar seu estresse quando algo não vai bem e possivelmente é por isso que só conseguem falar e olhar para o estresse como algo ruim, por exemplo, quando sintomas passam a chamar a atenção. Entre estes sinais, estão incômodos como tensão, alterações de humor, excesso de preocupação, medos intensos, reações pelo corpo (dores de cabeça, pescoço, costas, musculares), taquicardias, suadores, insônias, alterações no apetite...

Precisamos, sim, dar atenção e cuidar dos sintomas e quadros, principalmente quando eles já se encontram em estado de alerta ou já se tornou um Transtorno de Estresse. O Transtorno de Estresse possui níveis ou graus e precisam de cuidados de acordo com sua intensidade. Não estou dizendo que não precisa de cuidado psíquico ou médico, já que muitas vezes precisam de ajuda, sim.

Vantagens do estresse

Porém, o estresse não é uma situação que só deve ser encarada como problema ou que deva ser eliminada da vida. Pelo contrário. O estresse está ligado diretamente a um estado emocional, mas ele acontece e é provocado continuamente por movimentos internos. Ou seja, o estresse faz parte do organismo e funcionamento fisiológico e psíquico da pessoa. As causas externas, como trabalho, estudo, relacionamentos, trânsito, rotinas, pressão de vida e problemas financeiros são "apenas" movimentos provocadores que podemos perceber com mais clareza e por isso associamos a eles.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas o estresse, na verdade, pode ser entendido como um motivador psíquico que todos possuímos. Por isso, é preciso cuidado para não retirá-lo de nossa vida, já que ele é fundamental.

Através de nossos movimentos de estresse, que são alterações hormonais e neuronais que ocorrem internamente em nosso corpo, conseguimos, por exemplo, levantar da cama todos os dias para trabalhar, sair pra dançar ou fazer planos pro futuro.

O estresse é o causador de nossos movimentos e picos criativos. Ele nos permite movimentos ansiosos que aceleram nossos pensamentos e podem nos fazer pensar mais, produzir mais, nos permitir focar e aprofundar numa atividade, é também nosso sensor e nos ajuda a calcular o tempo que temos para chegar aos lugares, para realizar tarefas, nos permite perceber que algo pode estar acontecendo atrás da gente, mesmo sem olhar.

O estresse também nos gera preservação, através de um tipo de medo bom, que é um medo que nos mantém em alerta observando e tomando certos cuidados. Através dele, a gente consegue saber que podemos atravessar a rua, sem risco de sermos atropelados, se precisamos tomar cuidado com aquela pessoa estranha próximo a nós e isso acontece sem ficarmos pensando. Não é racional, apesar de parecer, e chega na verdade ser meio reativo. A pessoa tem essa informação com ela e usa sem ficar pensando racionalmente naquele momento, a reação ou atitude acontece por impulsos do estresse que usa memórias, aprendizados e o organismo para fazer.

Assim, o que podemos entender e começar a considerar é que, na verdade, o estresse precisa ser visto como uma necessidade de todos, pois ele nos gera coragem, força, ânimo, criatividades, preservação, produtividade... e, se retirarmos o estresse, o que nos restará são sintomas depressivos, porque perdemos vitalidade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Então deixo aqui um pensamento aberto (como gosto de sempre deixar, isso tem a ver com meu olhar psicanalítico), de que precisamos rever o termo estresse em nossas vidas. Há estudos nos EUA que apontam que o estresse só é causador de problemas e adoecimentos por aqueles que enxergam ele como um vilão.

Reforço aqui que em nenhum momento estou sugerindo que o estresse não mereça cuidado. Pelo contrário, ele precisa sim, pois pode se tornar um sério adoecimento trazendo sofrimento e consequências diversas à vida da pessoa.

Conhecendo o próprio estresse

Mas estou convidando a todos olharem e reconhecerem seus estresses, afinal todos temos e precisamos dele. E o que vai dizer se isso pode me adoecer ou não é o quanto conheço sobre mim (internamente e minhas reações), quanto consigo perceber meus picos bons e picos ruins, quanto e como consigo lidar e levar minhas movimentações internas no meu dia a dia.

Há pessoas mais agitadas, outras menos; há quem funcione bem com música, outras precisam de silêncio; há quem adore acordar cedo, outras só funcionam bem a tarde ou noite; há quem se acalme dançando, outras meditando, outros correndo...

Perceba que seu dia a dia mostra continuamente seu movimento de estresse. Diariamente pode perceber seus medos, irritações, alegrias, desejos, empolgações, saco cheio... O ponto é:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que você faz com isso? Você conhece seu estresse?

Ignorar, deixar pra lá ou entender que faz parte das "bobeiras da vida", que são obrigações ou situações que preciso engolir e passar, parece ser o caminho do adoecimento. Enquanto conhecer a si mesmo e assumir suas condições internas parece sugerir possibilidades de vida mais saudável.

É assim que falamos sobre o verdadeiro lidar com estresse, quando lidamos como nosso eu. Quando tratamos o estresse na forma adoecida, que é como costumam buscar ajuda, tratamos um ser adoecido, exausto, desgastado, perdido e desacreditado. Mas o estresse não é adoecer, estresse é tudo aquilo que nos move e gera diversas sensações (boas ou ruins).

Se você está com dificuldade de perceber ou lidar com seus movimentos busque orientação psicológica. Para se entender, não espere adoecer. E se você nunca parou para pensar que é estressado, que todos somos e isso é bom, pare agora e tente perceber como funciona seu estresse, seu corpo, sua mente e suas emoções. Reconheça seu estresse conhecendo mais sobre você e assim use ele a seu favor, use ele para viver, pra fazer e pra ser você.