PUBLICIDADE

Picolé de leite materno: para que serve e quando é indicado

Também chamado de "peitolé", recurso é usado para aliviar a dor do nascimento dos dentinhos do bebê

Se você amamenta, provavelmente já ouviu falar em "peitolé" ou "tetolê". O picolé de leite materno é hoje a maior tendência entre as mamães nutrizes. Criatividade é o que não falta para as mamães na tentativa de atender à todas as demandas do bebê, que até mesmo o picolé de leite materno foi inventado. Somos mesmo incríveis.

Ainda que seja uma ideia super criativa e original, como sempre, nem tudo é um mar de rosas. Alguns cuidados devem ser tomados para garantir a segurança dos pequenos.

As vantagens do picolé de leite materno

O "peitolé", além de refrescar nos dias mais quentes do ano, representa também uma forma diferente de ofertar o alimento para o bebê. Os bebês maiorzinhos se divertem por um tempão com a novidade. Tudo acaba em uma grande e gostosa brincadeira, um entretenimento, uma verdadeira diversão! Isso significa um tempinho livre para a mãe também, pois você já sabe que encontrar algo que distraia os bebês por um tempo não é nada fácil.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A maior utilidade do "peitolé" sem dúvida alguma, é na época de nascimento dos dentinhos. Ele tem a propriedade de aliviar a dor e o desconforto da primeira dentição dos bebês. Essa ideia se propagou nos grupos de amamentação e nas redes sociais como rastilho de pólvora.

E os relatos são inúmeros, desde bebês que amaram a ideia até outros que simplesmente detestaram (e com direito a cara feia!).

Contra-indicações do picolé de leite materno

Primeiramente, precisamos lembrar que até os seis meses de vida o bebê deve estar em aleitamento exclusivo e a ideia de se misturar frutas na composição não é propícia para um bebê até essa idade! Combinado? Mesmo no caso em que o leite materno seja ingrediente principal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Embora seja um "produto" somente confeccionado com um único ingrediente (o leite materno), este não deve ser ofertado a crianças menores de seis meses. A recomendação da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) é que mesmo seguindo os critérios de segurança, ofertar o picolé de leite materno é uma opção que deve ser sempre discutida com o pediatra para uma orientação adequada em cada caso.

É bom também lembrar que o leite materno não é uma "refeição" restrita nem enjoativa! Então não precisamos de esforços para trazer um jeito diferente do bebê recebê-lo, já que não podemos mudar o cardápio.

Além de tudo, o cardápio do bebê em amamentação exclusiva é bem diversificado, por incrível que pareça. Eu explico mais detalhes sobre isso no meu livro Sintonia de Mãe, publicado pela Editora Luz da Serra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O leite materno tem a propriedade de mudar o seu sabor a cada mamada, a cada momento do dia ou da noite e, dependendo do cardápio da mãe, ele também altera seu flavor (sabor e aroma). Isso é fantástico, não? Então, seu bebê tem sim uma refeição diferente e balanceada a cada dia, mesmo só tomando leite materno.

Outra questão é do armazenamento e higiene na preparação. É muito importante que as mamães "fabricantes" do picolé de leite materno estejam atentas às Normas de Segurança para Extração e Armazenagem do Leite Humano. Tudo isso para garantir a saúde alimentar de nossos pequenos.

Além disso, para crianças mais sensíveis, o resfriamento das vias aéreas superiores pode ocasionar maior risco de inflamações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Todas já sabem, mas é sempre bom lembrar: o leite materno é o melhor alimento e sai do peito na temperatura certa. Então, se for oferecer picolé de leite materno, faça sempre com moderação.